JOÃO PESSOA

Ruy crítica abandono de patrimônios históricos de João Pessoa: “A gestão que não cuida da memória da cidade, não tem o menor compromisso com as pessoas”

A queda de parte do muro do cemitério Senhor da Boa Sentença, no bairro do Varadouro, em João Pessoa, é mais um reflexo do caos administrativo que está instalado na capital paraibana. O deputado federal Ruy Carneiro criticou o abandono do local, que além de cuidar da memória das pessoas, também é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba.

O parlamentar lembrou que o cemitério é administrado pela Prefeitura de João Pessoa e que por conta do abandono também vem sendo alvo constante de vândalos.

“Infelizmente, a queda desse muro é muito simbólica e representa claramente o descaso da atual gestão municipal com João Pessoa e principalmente com a população pessoense. Um espaço que abriga a memória das pessoas e de fatos históricos do nosso estado, não pode está abandonado dessa forma. O fato mais agravante é que a estrutra é tombada pelo Iphaep e deveria receber uma atenção ainda maior do poder público”, ressaltou o deputado.

Nesta terça-feira (18), uma reportagem da tv Cabo Branco mostrou o abandono, a depredação e a falta de limpeza do cemitério. A matéria ainda trouxe a denúncia de uma mulher, que tem parentes enterrados no local, mas preferiu não se identificar.

“O jazigo da minha família fica próximo ao muro, já na parte de trás. O muro caiu, continua lá e uma outra parte corre o risco de desabar em cima do jazigo da minha família. Nós procuramos a administração do cemitério, mas eles informaram que não poderiam fazer nada. A gente foi na delegacia, fizemos um boletim de ocorrências, só que até agora nada foi resolvido”, desabafou a denunciante.

De acordo com as pessoas que frequentam o local, os túmulos e ossários são alvo frequentes de criminosos. A falta de limpeza, segurança e o risco de assaltos também gera revolta na população. Esses relatos também são registrados em outros cemitérios da capital, à exemplo do Cristo e de Cruz das Armas.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo